ANÁLISE MACRO E MICROSCÓPICA DA CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS AGUDAS EM RATOS UTILIZANDO A PAPAÍNA 2%.

Lana Jéssica Araújo, Juan Rene Barrientos, Marcia Otto Barrientos

Resumo


A papaína, isolada a partir do látex do mamão verde, é uma proteína globular composta por 212 aminoácidos, têm ação catalítica nas posições Glicina-19, Cisteina-25 e Histidina-159 provocando a quebra de proteínas apenas do tecido desvitalizado. Isto ocorre porque no tecido sadio há uma antiprotease plasmática, α1-antitripsina, que inativa a protease da papaína impedindo que esta afete o tecido sadio. Este processo é chamado de debridamento enzimático e sua importância para a cicatrização está em impedir que o tecido necrótico retarde o processo cicatricial. Além do efeito debridante, na ferida por segunda intenção, há a ação anti-inflamatória, bactericida e bacteriostática. O objetivo deste estudo foi observar, comparar e analisar, macro e microscopicamente, a cicatrização de feridas agudas em ratos utilizando a papaína 2%, colagenase 0,6 U/g e soro fisiológico 0,9%. O procedimento aprovado pela Comissão de Ética no Uso de Animais da Faculdade Adventista da Bahia com o protocolo nº 31/2016, foram utilizados nove ratos heterogêneos Wistar machos que passaram por procedimento cirúrgico gerando feridas de 1 cm2 no dorso, sendo aleatorizados e divididos em três grupos. A eutanásia ocorreu aos 7, 14 e 21 dias para a análise histológica. Durante todo o período de experimento foi possível observar que o grupo de papaína manteve a ferida com boa aparência e com o início do processo cicatricial mais avançado do que os outros grupos. A partir das análises macroscópica e microscópica, e da comparação entre tratamentos conclui-se que a papaína tem propriedades que auxiliam na cicatrização de feridas agudas.


Palavras-chave


Cicatrização, papaína, bioquímica

Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde. Secretaria de Política de Saúde. Manual de Condutas para Úlceras Neurotrópicas e Traumáticas. Brasília: (DAB, ATDS); 2002.

Kumar, V, Abbas, AK, Fausto, N. Inflamação aguda e crônica. In: Robbins e Cotran. Bases patológicas das doenças. Edição (7). Rio de Janeiro. Elservier; 2005. p.49-88.

Franco, D, Gonçalves, LF. Feridas cutâneas: a escolha do curativo adequado. Rev. Col. Bras. Cir. 23 de out. de 2007; (0100-6991): 203-206.

Souza, DLS, Silva VCL, Souza, M, Coelho, MCOC, Rios, TMM, Rodrigues, UV. Atividade cicatrizante da colagenase e cloranfenicol em ferida cutânea em cão: relato de caso. Disponível em: http://www.eventosufrpe.com.br/jepex2009/cd/resumos/R1146-1.pdf. Acessado em: 27 de setembro de 2018.

Ferreira, TMC et al. Conhecimento de enfermeiros sobre o uso da colagenase em lesões por pressão. Rev. Enferm UFPE On line. 2018; 12 (1): 128-136.

Monetta, L. Uso da papaína nos curativos feitos pela enfermagem. Rev. Bra. Enfer.1987. 40 (1): 66-73.

Mamboya, EAF. Papain a plant enzyme of biological importance: a review. Americ. Jorn. Bioch. Biotec. 2012; 8 (2): 99-104.

Ganapathy, CV, Sastri, BN. CXLII. The nature of papain. 1939; 1175-1179.

Otto, HH, Schirmeister, T. Cysteine Proteases and Their Inhibitors. Chem. Rev. 1997; 133-171.

Leite, AP, Oliveira, BGRB, Soares, MF, Barrocas, DLR. Uso e efetividade da papaína no processo de cicatrização de feridas: uma revisão sistemática. Rev. Gaúcha Enferm. 2012; 33 (3): 198-207.

Ajlia, SASH, Majid, FAA, Suvik, A, Effendy, MAW, Nouri, HS. Efficacy of papain-based cound cleanser in promoting wound regeneration. Pak. J. Biol. Sci. 2010; 13 (12): 596-603.

Alves, H, Machado, MT, Noronha, AMNW. Análise qualitativa do processo de reparo em cicatriz cirúrgica de ratos tratados com extrato de musa sapientum, aloe vera, colagenase e placebo. Rev. Cienc. Saúd. 2011; 1.

Borella, JC, Simões, RF. Avaliação da estabilidade e da atividade enzimática de soluções de papaína utilizadas no desbridamento e cicatrização de feridas. Infarma.Cien. Farmac.2016; 28 (3): 179-184.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS PARA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA 1979 - 2017 | BR 101 KM 197 | CAIXA POSTAL 18 | CACHOEIRA - BAHIA | +55 (75) 3425 - 8000