LIBRAS E AS INTERVENÇÕES PSICOPEDAGÓGICAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DO DEFICIENTE AUDITIVO

Naiana Magalhães Lago

Resumo


As práticas de educação para surdos têm sido, em muitos centros educacionais, insuficientes e
inadequadas por diversos motivos. O uso de métodos orais, comumente utilizado, é
conhecidamente ineficaz, dado a precariedade que há nesse tipo de comunicação com o surdo.
Diante disso, as intervenções psicopedagógicas tem se mostrado como ferramentas de
mobilização escolar, tornando-se eficiente recurso para sanar essas dificuldades. Este trabalho
visa apresentar como as intervenções psicopedagógicas e a Libras contribuíram na
aprendizagem de um aluno surdo. Usando dados levantados a partir de observação sistemática
participativa e não participativa, entrevistas orais e análise de documentos. Sendo ponderados
por consulta bibliográficas e exercitados em intervenções coletivas. Como resultado professores
aderiram as novas metodologias de ensino propostas, houve aproximação entre escola e família,
as quais inicialmente se envolveram com o aprendizado da Libras. Pouco avanço do aluno na
leitura e escrita do português, contribuições da Língua de Sinais no processo de aprendizagem
e interação social, evolução do aluno nas atividades escolares e melhores notas. O bilinguismo
se mostrou como melhor alternativa para prática educativa. A aproximação entre a família e a
escola, acarretou em melhorias no comportamento do aluno, melhor rendimento e permanência
do estudante na escola. Este relato permitiu aferir a importância da Libras no mundo acadêmico
que as intervenções psicopedagógicas, somadas a esse tipo de Linguagem, se constituem como
promissoras para sanar as dificuldades de aprendizagem por alunos com deficiência auditiva.
Engajando e mobilizando toda a escola e a família no desenvolvimento integral do indivíduo.

Palavras-chave


Língua de Sinais. Psicopedagogia. Intervenções psicopedagógicas. Educação especial.

Texto completo:

PDF

Referências


BOTELHO, P. Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos:

UFMG, 2010.

CORRÊA, Denise. Psicopedagogo e professor: parceria na construção do conhecimento.

Disponível em: . Acesso em: 06 de Abril de 2019

FERNANDES, Sueli. Apostila do curso de pós-graduação Educação Bilíngue para surdos.

Paraná: Ipê, 2008.

GESSER, Audrei. O ouvinte e a surdez: sobre ensinar e aprender a libras. São Paulo:

Parábola Editorial, 2012

GIL, Antônio. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. Ed. São Paulo; Editora Atlas. 2008.

Manual de trabalhos acadêmicos: Faculdade Adventista da Bahia / organizado por Daniela

Santana Reis. – FADBA: Cachoeira, 2014

PEREIRA, C.V. Libras: conhecimento além dos sinais. São Paulo: Pearson Prentice Hall,

PEREIRA, Rachel de Carvalho. Surdez: aquisição de Linguagem e Inclusão Social. Rio de

Janeiro: Revinter, 2008.

SOUZA, E.F. VASCONCELOS T.C. O papel do Psicopedagogo no contexto atual. Revista

Rebes, Pombal- PB, Brasil, vol.2, n 1, pág. 53-58, 2012.

VERCELLI, L. C. A. O trabalho do psicopedagogo institucional. Revista Espaço

Acadêmico, número 139, dezembro, 2012


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS PARA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA 1979 - 2017 | BR 101 KM 197 | CAIXA POSTAL 18 | CACHOEIRA - BAHIA | +55 (75) 3425 - 8000