Parábolas, paralelos, contrastes e intertextualidade: um estudo exegético-teológico de Lucas 15.

Hebert Davi Liessi

Resumo


Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar os contrastes e paralelos dentro de uma visão intertextual das parábolas de Jesus em Lucas 15. A primeira parte explica o motivo do uso das parábolas e como é possível entendê-las. A segunda sessão aborda os contrastes e paralelos encontrados entre as três parábolas em Lucas 15. Já a terceira parte analisa como estes contrastes e paralelos podem ser vistos intertextualmente neste capítulo do terceiro evangelho. Por fim, conclui-se como o terceiro evangelista procurou demonstrar artisticamente a missão de Cristo através de suas parábolas. A tese defendida aqui é demonstrar, através dos contrastes e paralelos literários, a atenção que Jesus tinha pelos perdidos-pecadores e a celebração que ele faz quando os encontra.

Palavras-chave: Parábola; Intertextualidade; Hermenêutica; Lucas 15.

Abstract: This article aims to present the contrasts and parallels within an intertextual view of Jesus’ parables in Luke 15. The first part explains why the use of parables and how you can understand them. The second session deals with the contrasts and parallels found among the three parables in Luke 15. The third part examines how these contrasts and parallels can be seen intertextually in this chapter of the third gospel. Finally, it appears as the third evangelist sought artistically demonstrate Christ’s mission through his parables. The thesis here is to demonstrate, through contrasts and parallels, the attention that Jesus had for the lost sinners and the celebration he does when he finds them.

Keywords: Parable; Intertextuality; Hermeneutics; Luke 15.


Texto completo:

PDF

Referências


ALAND, K. et al. Novum Testamentum Graece. 28. ed. Stuttgart: Deutsche Bibelgesellschaft, 2012.

AZEVEDO NETO, J.; COSTA, I. S. S. (Ed.). Léxico analítico do grego do Novo Testamento. Cachoeira: CEPLIB, 2010.

DAVIDSON, R. M. Interpretação bíblica. In: DEDEREN, R. Tratado de teologia adventista do sétimo dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2011.

FITZMYER, J. A. et al. The Anchor Bible: the gospel according to Luke. 3. ed. New York: Doubleday e Company, 1986.

FEE, G. D.; STUART, D. Manual de exegese bíblica: Antigo e Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2008.

KARRIS, R. J. et al. (Ed.). Novo comentário bíblico São Jeronimo: Novo Testamento e artigos sistemáticos. São Paulo: Paulus, 2011.

KITTEL, G.; BROMILEY, G. W.; FRIEDRICH, G. (Orgs.). Theological dictionary of the New Testament. Grand Rapids: Eerdmans, 1985.

LIDDELL, H. G. et al. A Greek-English lexicon. Oxford: Clarendon Press, 1996.

MARSHALL, I. H. Luke: historian and theologian. Exeter: Paternoster Press, 1979.

MOUNCE, W. D. Léxico analítico do Novo Testamento grego. São Paulo: Vida Nova, 2013.

OSBORNE, G. R. A espiral hermenêutica: uma nova abordagem à interpretação bíblica. São Paulo: Vida Nova, 2009.

PAROSCHI, W. Crítica textual do Novo Testamento. 2. ed. São Paulo: Vida Nova, 2008.

ROBINSON, E.; GOMES, P. S. Léxico Grego do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2012.

SHEPHERD, T. Interpretação dos tipos, parábolas e alegorias bíblicas. In: REID, G. W. Compreendendo as Escrituras: uma abordagem adventista. Engenheiro Coelho: Imprensa Universitária Adventista, 2007.

SILVA, M. “Estes, porém, foram registrados para que creiais” – o significado dos evangelhos. In: KAISER, W. C.; SILVA, M. Introdução à hermenêutica bíblica. 2. ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2009.

THE LEXHAM Analytical Lexicon to the Greek New Testament. Logos Bible Software, 2011.

VINCENT, M. R. Word studies in the New Testament. Peabody: Hendrickson Publishers, 2009. v. 4.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.