Origem e desenvolvimento da crença no limbo

Everton Correa Cardoso dos Santos

Resumo


Resumo: O presente artigo visa a discorrer brevemente acerca da origem e do processo pelo qual se desenvolveu a crença do limbo no cristianismo, mais especificamente no corpo de crenças da teologia católica. A fim de que se estabeleça uma correta compreensão da concepção de um lugar/estado intermediário, ao passo que enumera os principais expositores desta crença, o presente trabalho trata de apontar convergências/divergências entre limbo e purgatório. Usando o historiador e especialista em Idade Média Jacques Le Goff como pano de fundo, torna-se perceptível que o domínio da geografia do além implicou em uma mudança capaz de afetar bem mais que a cosmovisão do plano social: alterou a postura do indivíduo em virtude da nova realidade pós-vida. Assim, diferindo do purgatório, o limbo pressupõe um estágio intermediário dedicado a um público específico que se distingue dos salvos e dos eternamente perdidos. 

Palavras-chave: Além; Limbus Patrum; Limbus Puerorum; Purgatório; Estágios Intermediários; Pecado Original.


Abstract: This article aims to discuss briefly the origin and the process by which belief in limbo developed in Christianity, specifically in the body of beliefs of Catholic theology. In order to establish a correct understanding of the concept of a place/intermediate state, while listing the main exhibitors this belief, this article will point convergence/ divergence between limbo and purgatory. Using the historian and expert in the Middle Ages Jacques Le Goff as a backdrop, it becomes apparent that the geography of the afterlife involved a can change to affect much more than the worldview of the social plan: it changed the posture of someone about the afterlife reality. Thus, differing from purgatory, limbo assumes an intermediate stage dedicated to a specific audience that distinguishes the saved and the eternally lost people.


Keywords: Afterlife; Limbus Patrum; Limbus Puerorum; Purgatory; Intermediate stages; Original sin.


Texto completo:

PDF

Referências


ALIGHIERI, D. A Divina Comédia. São Paulo: Atena, 2003. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2015.

AQUINO, T. Suma Teológica. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1997, v. 2. . Suma Teológica. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1997, v. 6

BACCHIOCCHI, S. Crenças populares: o que as pessoas acreditam e o que a Bíblia realmente diz. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2012.

BENITO, Á. P.; RECOLETO, A. El destino de los niños muertos sin bautismo. Lima: Imprimatur, 2003. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2015.

BERGER, P. A Construção Real da Sociedade. Petrópolis: Vozes, 1974..

BERNADES, E. Os pagãos chegam ao paraíso. Revista Época, 2007. Disponível em: . Acesso em: 07 out. 2015.

BETTENCOURT, D. E. O limbo das Crianças. Revista A Ordem, v. 53, n. 1, 1955. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2015.

CAMPOS, H. C. Descendit ad inferna: Uma análise da expressão ‘desceu ao hades’ no cristianismo histórico. Fides Reformata, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 1-21, 1999. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2015.

CERAM, C. W. Deuses, Túmulos e Sábios. 17. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1985.

COSTA, D. L. A instituição do inferno medieval. In: JORNADA DE ESTUDOS ANTIGOS E MEDIEVAIS, 10. Maringá, 2011. Anais do Congresso, 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2015.

DUARTE, T. A. Inferno: uma ideia do espaço dos pecadores na Divina Comédia de Dante Alighieri. Monções: Revista do Curso de História da UFMS, Mato Grosso do Sul, v. 1, n. 1, p. 187-201, set. 2014. Disponível em: < http://bit.ly/2iV0OJ3>. Acesso em: 02 abr. 2015.

GARCÍA, F. A. G. La Anástasis: Descenso a los infiernos. Revista Digital de Iconografía Medieval, v. III, n. 6, p. 1-17, 2011, Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2015.

GARRIGOU-LAGRANGE, R. La vida eterna y la profundidad del alma. Madrid: Ediciones Rialp S.a., 1931. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2015.

JACKSON, M. The New Schaff-Herzog Encyclopedia of Religious Knowledge. New York and London: Funk and Wagnalls Company, 1910, v. 5.

JACKSON, M. The New Schaff-Herzog Encyclopedia of Religious Knowledge. New York and London: Funk and Wagnalls Company, 1910, v. 6.

LACOSTE, J. Y. Dicionário Crítico de Teologia. São Paulo: editora Paulina em parceria com a editora Loyola, 2004.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de Metodologia Científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LE GOFF, J. O nascimento do Purgatório. 2. ed. Lisboa: Editorial Estampa, 1995.

NEGRAES, E. C. O Livro dos Mortos do Antigo Egito: o primeiro livro da humanidade. 9. ed. São Paulo: Editora Hemus, 1996.

OTT, L. Manual de Teologia de Dogmática. Barcelona: Editorial Herder, 1966. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2015.

POSSAMAI, J. M. B. Leitura do limbo de Dante: o encontro de poetas e sábios. Dissertação. (Mestrado em Literatura). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007. Repositório Institucional da UFSC. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2015.

RICHARDSON, D. O fator Melquisedeque: o testemunho de Deus nas culturas por todo o mundo. São Paulo: Vida Nova, 2008.

SACRAMENTUM MUNDI. Barcelona: Editorial Herder, 1973, v. 4.

SCHMAUS, M. Teología Dogmática. Madrid: Edições Rialp, 1960. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2015.

SPROUL, R.C. Filosofia para Iniciantes. São Paulo: Vida Nova, 2002.

THREEPWOOD, G. Limbo. In: LACOSTE, J. Y. Dicionário Crítico de Teologia. São Paulo: editora Paulina em parceria com a editora Loyola, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.