ANTIDEPRESSIVOS DISPENSADOS NOS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO RECÔNCAVO BAIANO QUE APRESENTAM EFEITOS SEXUAIS.

Autores

  • Izabel Paulina Lemos Soares Rocha Lima Sales Faculdade Adventista da Bahia
  • Hyago Sales Sobreira
  • Marcia Otto Barrientos

Palavras-chave:

Antidepressivos, Tratamento Farmacológico, Efeitos Colaterais, Saúde Sexual, Serviços de Saúde Mental.

Resumo

Introdução: Os transtornos de desejo sexual, de excitação e de orgasmo ocorridos durante o tratamento com antidepressivos são fatores que favorecem a não adesão ao tratamento farmacológico. Objetivo: Investigar a presença de fármacos antidepressivos que são dispensados nos Centros de Atenção Psicossocial de cidades do Recôncavo Baiano e relacionar aos respectivos efeitos colaterais sexuais que a literatura apresenta. Métodos: Em corte transversal descritivo, através de um questionário, foram verificados quais antidepressivos são fornecidos nos Centros de Atenção Psicossocial do Recôncavo Baiano para, em seguida, relacionar os seus efeitos colaterais sexuais. Para isto, foram visitados os Centros de Atenção Psicossocial de 9 cidades do Recôncavo Baiano que estão em um raio de até 70 Km de distância da Faculdade Adventista da Bahia, entre os meses de maio a julho de 2019. Resultados: Todos os Centros de Atenção Psicossocial visitados apresentaram o fornecimento de antidepressivos. De um total de 12 fármacos antidepressivos presentes, dois antidepressivos tricíclicos e um inibidor seletivo de receptação de serotonina estão disponíveis para dispensação em todos os Centros de Atenção Psicossocial verificados. Conclusão: A maior presença de medicamentos antidepressivos disponíveis para dispensação nos Centros de Atenção Psicossocial estudados são, exatamente, os fármacos que a literatura aponta com os maiores índices de disfunção sexual. Bupropiona, trazodona e mirtazapina são apontados na literatura com menores índices de disfunção sexual e abandono do tratamento e estão entre os fármacos menos presentes nos Centros de Atenção Psicossocial do Recôncavo Baiano. 

Biografia do Autor

Hyago Sales Sobreira

Acadêmico de Teologia – Faculdade Adventista da Bahia – FADBA.

Marcia Otto Barrientos

Mestre em Ciências – CENA/USP, Farmacêutica – FAFABES/UFES, Doutoranda em Imunologia – UFBA. Professora da Faculdade Adventista da Bahia – FADBA

Referências

Novaretti MCZ, Quitério LM, Dos Santos EV. Gestão em Unidades de Terapia Intensiva Brasileiras: Estudo Bibliométrico dos Últimos 10 Anos. RAHIS [Internet]. 2015 Oct 20 [cited 2018 Jun 6];12(4). Available from: http://revistas.face.ufmg.br/index.php/rahis/article/view/2623

Viana RAPP, Whitaker IY. Enfermagem em terapia intensiva: práticas e vivências. Artmed Editora; 2009. p. 273.

Gonçalves RM, Pereira Pontes E. Estudo de taxa de ocupação de leitos de UTI do estado de Minas Gerais. In: Melhorias de Gestão em UTIs [Internet]. Brasília; 2012 [cited 2018 Jun 6]. p. 19. Available from: http://banco.consad.org.br/bitstream/123456789/657/1/C5_TP_ESTUDO DE TAXA DE OCUPAÇÃO DE LEITOS DE UTI.pdf

Brasil. Resolução CFM No 2.156/2016. Diário Oficial da União. Brasília; 2016 Nov 17;138–9.

White ST, Cardenas YR, Nates JL, White ST, Cardenas YR, Nates JL. What every intensivist should know about intensive care unit admission criteria. Rev Bras Ter Intensiva [Internet]. Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB; 2017 [cited 2018 Jun 7];29(4):414–7. Available from: http://www.gnresearch.org/doi/10.5935/0103-507X.20170073

Caldeira VMH, Silva Júnior JM, Oliveira AMRR de, Rezende S, Araújo LAG de, Santana MR de O, et al. Critérios para admissão de pacientes na unidade de terapia intensiva e mortalidade. Rev Assoc Med Bras [Internet]. Associação Médica Brasileira; 2010 [cited 2018 Jun 7];56(5):528–34. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302010000500012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Society of Critical Care Medicine. Guidelines for ICU admission, discharge and triage. Crit Care Med. 1999;27(3):633–8.

Tozoni-Reis MF de C. Metodologia da Pesquisa [Internet]. 2a Edição. Curitiba: IESDE Brasil S.A.; 2009 [cited 2018 Jun 6]. p. 104. Available from: www.iesde.com.br

Tavares De Souza M, Dias Da Silva M, De Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein [Internet]. 2010 [cited 2018 Jun 1];8(1):102–6. Available from: http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508-eins-8-1-0102

Ratton JL de A. Centro de Tratamento Intensivo critérios de admissão e alta. In: Medicina intensiva. São Paulo: Atheneu; 1999.

Murthy S, Leligdowicz A, Adhikari NKJ. Intensive care unit capacity in low-income countries: a systematic review. PLoS One [Internet]. Public Library of Science; 2015 Jan 24;10(1):e0116949–e0116949. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25617837

Ramos JGR, Passos R da H, Baptista PBP, Forte DN. Factors potentially associated with the decision of admission to the intensive care unit in a middle-income country: a survey of Brazilian physicians. Rev Bras Ter intensiva [Internet]. Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB; 2017;29(2):154–62. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28977256

Lindemark F, Haaland ØA, Kvåle R, Flaatten H, Norheim OF, Johansson KA. Costs and expected gain in lifetime health from intensive care versus general ward care of 30,712 individual patients: a distribution-weighted cost-effectiveness analysis. Crit Care [Internet]. BioMed Central; 2017 Aug 21;21(1):220. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28830479

Ramos JGR, Perondi B, Dias RD, Miranda LC, Cohen C, Carvalho CRR, et al. Development of an algorithm to aid triage decisions for intensive care unit admission: a clinical vignette and retrospective cohort study. Crit Care [Internet]. BioMed Central; 2016 Apr 2;20:81. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27036102

Publicado

2020-04-20

Como Citar

Sales, I. P. L. S. R. L., Sales Sobreira, H., & Otto Barrientos, M. (2020). ANTIDEPRESSIVOS DISPENSADOS NOS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO RECÔNCAVO BAIANO QUE APRESENTAM EFEITOS SEXUAIS. Revista Brasileira De Saúde Funcional, 10(1), 18. Recuperado de http://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/RBSF/article/view/1219