PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA TUBERCULOSE EM UMA MICRORREGIÃO DA BAHIA (2008-2018).

Autores

  • Álisson Neves Santos Centro Universitário FG - UniFG
  • Myllena Rodrigues dos Santos Centro Universitário FG - UniFG
  • Leila Vieira Pereira Gonçalves Centro Universitário FG - UniFG

Palavras-chave:

Epidemiologia, Tuberculose, Notificação de Doença.

Resumo

Introdução: A tuberculose é uma doença infectocontagiosa que tem como agente causador o Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch. A infecção ocorre através das vias aéreas e pode acometer vários órgãos, no entanto a forma pulmonar é a mais comum e de maior relevância, visto que esta mantém a cadeia de transmissão da doença. Objetivo: O estudo objetivou-se em traçar o perfil epidemiológico dos casos de Tuberculose em uma microrregião no interior da Bahia no período de 2008 a 2018. Método: Tratou-se de um estudo descritivo, transversal e quantitativo dos casos disponíveis Sistema de Informação de Agravo e Notificação. Todo o estudo foi desempenhado com nível de significância de 5% (p<0,05). Resultados: A pesquisa foi composta por 535 casos, sendo 68,60% referentes a pessoas do sexo masculino, 41,31% ensino fundamental incompleto, 37,76% com faixa etária entre 40 a 59 anos, 45,98% de cor parda, 88,04% de forma pulmonar, 48,97% não realizou a associação entre TB-HIV, 74,95% não apresentou associação com AIDS, 84,30% foram registrados como casos novos, 80,19% não realizou a cultura, 51,96% apresentou 1ª baciloscopia positiva e 18,88% não realizou a 2ª baciloscopia. Conclusão: entende-se que a tuberculose ainda consiste em um grave problema de saúde pública na microrregião estudada, onde é possível observar também a presença de ignorados demonstrando falhas por parte da vigilância epidemiológica, necessitando desta forma de mais estudos acerca do tema, visto que os mesmos podem servir de condutores para incentivo de ações governamentais no auxílio contra a TB.

Referências

(1) MOURA, A.S., et. AL. Doador de sangue habitual e fidelizado: fatores motivacionais de adesão ao programa. RBPS, V. 19, n.2, 2006.

(2) RODRIGUES, R. S. M.; REIBNITZ, K. S. Estratégias de captação de doadores de sangue: uma revisão integrativa da literatura. Texto Contexto Enfermagem, v. 20, n. 2, 2011.

(3) MACEDO, F.R. M., et al . Perfil sociodemográfico e epidemiológico de candidatos a doação de sangue. Ciênc. Saúde. V.22, n.4, 2015.

(4) BELATO, D. Perfil dos doadores e não doadores de sangue de um município do sul do Brasil. R. Enferm. V.1, n.2, 2011.

(5) RODRIGUES, R. S. M., LINO, M.M., REYBNITZ, K.S. Estratégias de captação de doadores de sangue no Brasil: um processo educativo convencional ou libertador? Sau. & Transf. Soc.V.1, n.3, 2011.

(6) RODRIGUES, R.S.M . et al . Repercussão da política pública e da educação na captação de doadores de sangue. Cienc Cuid Saude. V.13, n.4,2014.

(7) LOPES, E.C. S., GUEDES, C.C. P, AGUIAR, B.G.C. Estratégias para a captação de doadores de sangue difundidas na literatura. Revista Acred. V. 2, n. 4, 2012.

(8) OLIVEIRA, H.M, GONÇALVES, M.J.F. Educação em saúde: uma experiência transformadora. Rev. Brasileira de Enfermagem. V.57, n.6, 2004.

(9) FRANCO, P.; E., B.K.; CÉZARO, D. A importância da doação de sangue e formação de novos doadores em Palmitos, SC. Revista UDESC, 2005.

(10) PEREIMA, R.S.M.R., et al. Projeto escola do centro de hematologia e hemoterapia de Santa catarina: uma estratégia de política pública. Texto Contexto Enferm. V.16 ,n., 2007

(11) REGINATO, M; ANDRADE, C. Captação de Doadores: Uma Prática de Educação em Saúde e de Mobilização Social Vivenciada no Hemonúcleo de Guarapuava-PR. Rev. Eletrônica Latu Sensu, 2008.

(12) SILVA JUNIOR, et al. Doação de sangue: relato de uma prática de educação popular em saúde. Revista Realize, 2014.

(13) OLIVEIRA, C.A. et al . Contribuições da prática extensionista sobre captação de doadores de sangue para graduandos de enfermagem. Rev enferm UFPE on line.V. 9, n. 8, 2015.

(14) PRICE C.L. Mailing of a sickle cell disease educational packet increases blood donors within an African American community. Transfusion. V. 46,n. 8, 2006.

Publicado

2020-04-20

Como Citar

Santos, Álisson N., Santos, M. R. dos, & Gonçalves, L. V. P. (2020). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA TUBERCULOSE EM UMA MICRORREGIÃO DA BAHIA (2008-2018). Revista Brasileira De Saúde Funcional, 10(1), 29. Recuperado de http://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/RBSF/article/view/1234