AUTOMEDICAÇÃO DOS ALUNOS DA ÁREA DE SAÚDE DA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA

Autores

  • ##ivana# ##firmeMatos## Faculdade Adventista da Bahia - FADBA
  • Viviane Oliveira Santos
  • Dayane Araujo da Silva
  • Emanuelle Galvão Conceição
  • Djeyne Wagmacker Ferreira
  • Márcia Otto Barrientos

Resumo

O uso de medicamentos é imprescindível para o tratamento de doenças e controle de seus sintomas. No entanto, quando esses medicamentos são utilizados de forma independente e irresponsável podem tornar-se um risco para a pessoa que o está consumindo. Este artigo trata-se de um estudo de pesquisa descritiva quantitativa, que visa abordar a automedicação no grupo dos estudantes dos cursos de saúde da Faculdade Adventista da Bahia (FADBA), avaliando as variáveis gênero, curso, conhecimento prévio de farmacologia, atitude tomada diante de dor e fatores que levam a prática da automedicação. A abordagem de coleta de dados se deu através de um formulário estratificado fechado. O presente estudo se justifica pelo alto índice de automedicação na população brasileira. De acordo dados coletados, estima-se que 62,86% da amostra pesquisada possui o hábito de se automedicar, sendo essa uma prática que precisa ser avaliada com muito cuidado sobre seus riscos e benefícios.

Palavras chaves: Automedicação. Estudantes de ciências da saúde. Efeitos adversos. Toxicidade. Medicamentos sem prescrição.

Publicado

2020-12-21

Como Citar

##firmeMatos##, ##ivana#, Oliveira Santos, V., Araujo da Silva, D., Galvão Conceição, E., Wagmacker Ferreira, D., & Otto Barrientos, M. (2020). AUTOMEDICAÇÃO DOS ALUNOS DA ÁREA DE SAÚDE DA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA . Revista Brasileira De Saúde Funcional, 12(1), 65. Recuperado de http://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/RBSF/article/view/1273