POLÍTICAS PÚBLICAS DE EXPANSÃO DA OFERTA DE CURSOS SUPERIORES TECNOLÓGICOS DO EIXO DE GESTÃO E NEGÓCIOS: UMA DISCUSSÃO NO CONTEXTO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR .

Autores

  • Almerinda Andréa Gomes Uinersidade do Estado da Bahia - UNEB

Palavras-chave:

Políticas Públicas. Educação Superior. Educação Profissional.

Resumo

Este texto que é parte de uma proposta de pesquisa de doutoramento refere-se a um campo de estudo relacionado com a análise das políticas públicas direcionadas à formação de um tipo específico de profissional, o tecnólogo, egresso dos cursos superiores de tecnologia, estando, portanto, circunscrito em diferentes campos da ciência, entre os quais destacam-se a Educação, Economia e Sociologia do Trabalho, mas, que se constituem em pano de fundo para o estudo de um objeto – a efetividade de políticas públicas – que pertence, eminentemente, ao campo da Administração Pública. O imbricamento dessas diversas áreas do conhecimento, na análise da temática aqui proposta, só evidencia a natureza multidisciplinar desta pesquisa. As graduações tecnológicas de nível superior têm sua origem e composição inseridas no processo de estruturação do ensino profissionalizante brasileiro, assim como os cursos técnicos de nível médio. Esse tipo de graduação foi concebido e moldado a partir de demandas impostas pelo mundo do trabalho, surgidas em consequência das transformações pelas quais passou a economia brasileira em sua estrutura produtiva, sobretudo a partir da década de 1930, quando o segmento industrial tornou-se o centro motor do processo de acumulação de capital no Brasil, após a falência do modelo agroexportador. Essas transformações na ordem econômica nacional impactaram sobremaneira o mundo do trabalho, gerando novas necessidades do ponto de vista da qualificação da mão de obra.

Biografia do Autor

Almerinda Andréa Gomes, Uinersidade do Estado da Bahia - UNEB

Doutoranda em Administração na UFBA.  Mestre em Economia pela UFBA. Graduação em Ciências Econômicas pela UFBA.Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia - UNEB.

Referências

ALA-HARJA, M. & HELGASON, S. Em direção às melhores práticas de avaliação. Revista do Serviço Público. Brasília, 51 (4) 2000, pp. 5-59.

ANTUNES, Caio. A Educação em Mészáros: trabalho, alienação e emancipação. Campinas: Autores Associados, 2011.

ARAÚJO, M. A. D. de e BORGES, D. F. Globalização e mercado de trabalho: educação e empregabilidade. Organização & Sociedade, v. 7 n. 17 jan/abr 2017.

ARRETCHE, M.T.S. Tendências nos Estudos sobre Avaliação, In: RICO, E. M. (org). Avaliação de Políticas Sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 1998. p. 29-39.

AZEVEDO, C. B. de. Qualificação é fundamental. GV-executivo, v. 17 n. 1 jan/fev 2018.

BARBOSA, D. Trabalho e educação: a formação profissional tecnológica e a empregabilidade. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, p. 142. 2013.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARONE, R.E.M. Educação e políticas públicas: questões para o debate. Santa Catarina: UFSC, dez. 1998. Artigo apresentado no concurso para Professor Adjunto.

BRASIL. Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. 3. ed. Brasília: Ministério da Educação, 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2018.

_______. Graduação e Inovação. Disponível em: . Acesso em: 28 jan. 2017.

_______. Lei nº 6.545, de 30 de junho de 1978. Disponível em: . Acesso em: 28 jan. 2018.

_______. Portaria MEC 1.024/2006. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2018.

_______. Resolução CNE/CP 3/2002. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2018.

_______. Resolução nº 4, de 13 de julho de 2005. Disponível em: . Acesso em: 18 de julho de 2018.
BRESOLIN, A. B. et all. Avaliação de políticas públicas: o caso da política de pagamento por bônus na educação na cidade de Nova York e o cenário brasileiro. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v. 23, n. 74 Janeiro/Abril 2018.

CERVO, Armando Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Pedro da. Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

CHRISPINO, A. Binóculo ou Luneta: os conceitos de políticas públicas e ideologia e seus impactos na educação. Revista da ANPAE, Porto Alegre, v.21, n. 1 e 2, jan./dez. 2005.

COHEN. E e FRANCO. R. Avaliação de projetos sociais. Petrópolis: Vozes, 2007, 7. ed.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativo, e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FREDERICKSON, H. G. e SMITH, K. B. Primed for Public Administration Theory. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 14, issue 2, april/2004, p. 253–257.

FREY, Klaus. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 21,
p. 211-259, jun. 2000.

FRIGOTTO, Gaudêncio.; FONKOUA, P.; APARÍCIO, P. Educação, Tecnologia e Mundo do Trabalho: emprego, desemprego e políticas de formação. Debate realizado em 25 de outubro de 2001, Fórum Mundial da Educação, Rio Grande do Sul, 2001.

GARCIA, Ronaldo Coutinho. Subsídios para organizar avaliações da ação governamental. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 23, p. 7-70, jan./jun. 2001.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

JACOMETTI, Márcio. Análise de efetividade das políticas públicas de Arranjo Produtivo Local para o desenvolvimento local a partir da teoria institucional. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro: 50(3), p. 425-454, maio-jun. 2016.

JOBERT, Bruno; MULLER. Pierre. L’Etat en action. Paris: PUF, 1987.

MAINARDES, Jeferson. Abordagem do Ciclo de Políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2018.

OSZLAK, Oscar e O'DONNELL, Guilhermo. Estado y políticas estatales en América Latina: Ilacia una estrategia de investigación. Doc. Cedes/GE Clacso, n. 4, 1976.

PALFREY, Colin e THOMAS, Paul. Politics and policy evaluation. Public Policy and Administration, v. 14, issue 4 2009, p. 58-70.

PARADA, E. L. Introdución a lãs Políticas Públicas. Santiago: Fondo de Cultura Econômica, 2002.

PRADO, Fernando Leme do. O Tecnólogo. 2004. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2018.

RAMOS, M. Projeto de formação humana e mediações históricas. Trabalho Educação e correntes pedagógicas no Brasil: um estudo a partir da formação de trabalhadores técnicos da saúde. Rio de Janeiro: EPSJV/Fiocruz, UFRJ, 2010.

ROSETTI JUNIOR y SCHIMIGUEL. Histórico e contexto econômico dos cursos superiores de tecnologia no Brasil. Observatorio de la Economía Latinoamericana, n. 152, 2011. Texto completo em .

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12 n. 34 jan/abr 2007.

SCHWARTZMAN, Simon. A sociedade do conhecimento e a educação tecnológica. São Paulo: Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI, Jan/2005.

SECCHI, L. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

SOARES, E. B. S. Políticas Públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. Revista de Administração Contemporânea. Vol.15 n.6. Curitiba: nov/dez 2011.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias. Porto Alegre: UFRGS, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 20-45.

TREVISAN, A. P. e BELLEN, H. M. van. Avaliação de políticas públicas: uma revisão teórica de um campo em construção. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 42, n. 3, p. 529-550, maio/jun. 2008.

VALENTE, Ivan e ARELARO, Lisete. Educação e Políticas Públicas. São Paulo: Xamã Editora, 2002.

Publicado

2020-01-17

Como Citar

Gomes, A. A. (2020). POLÍTICAS PÚBLICAS DE EXPANSÃO DA OFERTA DE CURSOS SUPERIORES TECNOLÓGICOS DO EIXO DE GESTÃO E NEGÓCIOS: UMA DISCUSSÃO NO CONTEXTO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR . Revista Formadores, 12(8), 114. Recuperado de http://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/formadores/article/view/1237