DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DA CONSULTA PARA ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO EM COMUNIDADES QUILOMBOLAS

Autores

  • Climene Laura de Camargo
  • Elenilda Farias de Oliveira
  • Viviane Silva de Jesus
  • Aline Cardoso Duarte
  • Thaís de Andrade Alves
  • Ridalva Dias Martins Felzemburgh

Palavras-chave:

Crescimento e Desenvolvimento., Vulnerabilidade Social, Raça e Saúde, Cobertura de Serviços de Saúde

Resumo

Objetivo: Delinear Diagnóstico Situacional da Consulta para Acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento (ACD) de crianças menores de um ano em comunidades quilombolas. Métodos: Estudo descritivo, quanti-qualitativo, com 32 crianças das três comunidades quilombolas de Ilha de Maré, Bahia, Brasil. Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética, Resolução 466/2012, parecer 1.023.744. Resultados: O diagnóstico situacional da Consulta para ACD foi baseado na análise da cobertura (81%), quantitativo de consultas no primeiro ano de vida e quantidade de profissionais para atendimento à população. Discussão: Apesar da cobertura da consulta ser aparentemente elevada, o número de consultas está abaixo do preconizado. Os prováveis fatores que interferem na busca do serviço estão relacionados às limitações geográficas e distanciamento da equipe frente às especificidades culturais da população. Conclusão: Intervenções na área da gestão com melhoria da infraestrutura, acessibilidade, oferta de serviços e capacitação dos profissionais para escuta qualificada e respeito cultural são prioritárias para a população estudada.

Referências

Moreira MDS, Gaíva MAM. Monitoring of Child Growth and Development: Analysis of

Records of Nursing Consultations. Rev. Pesqui. Cuid. É Fundam. Online 2013;5(2):3757–66.

doi:10.9789/2175-5361.

Brasil. Saúde da criança : crescimento e desenvolvimento. 2012.

Ximenes Neto FRG, Queiroz CA, Rocha J, Cunha ICKO. Why I don’t take my chil for a

childcare consultation. Rev. Soc. Bras. Enferm. Ped. 2010;10:51–9.

Gauterio DP, Irala DDA, Cezar-Vaz MR. Childcare in nursing: profile and main problemes

found in children less than one year. Rev. Bras. Enferm. 2012;65:508–13. doi:10.1590/

S0034-71672012000300017.

Furtado MB, Pedroza RLS, Alves CB. Quilombol culture, identity and subjectivity: a cultural

psychology perspctive. Pscilogia Soc. 2014;26:106–15.

Freitas DA, Caballero AD, Marques AS, Hernández CIV, Antunes SLNO. Saúde e

comunidades quilombolas : uma revisão da literatura. Rev CEFAC. 2011;13:937–43.

Lacerda R dos S, Hogan V, Araújo EM, Camargo CL. Fatores que interferem nas

disparidades raciais em saúde: impacto do trauma histórico, status socioeconômico e

racismo sobre a saúde. Rev. Assoc Bras. Pesq Negros. 2012;4:97–113.

Ibge. Dados completos sobre a Religião no Brasil - IBGE - Censo 2010. Censo Demográfico

2010:p.1-215.

Assis WD, Collet N, Reichert APS, Sá LD. Work process of the nurse who works in child care

in family health units.Rev. Bras. Enferm. 2011;64:38–46.

Cunha CLF, Silva RA, Gama MEA, Costa GRC, Costa ASV, Tonial SR. The use of pimary

attention services to health by the childhood population in a brazilian northeast. Cad.

Saúde Pública. 2013;21:115–20.

Levesque J-F, Harris MF, Russell G. Patient-centred access to health care: conceptualising

access at the interface of health systems and populations. Int J Equity Health 2013;12:1–9.

doi:10.1186/1475-9276-12-18.

Hailemariam M, Fekadu A, Selamu M, Medhin G, Prince M, Hanlon C. Equitable access to

integrated primary mental healthcare for people with severe mental disorders in Ethiopia:

a formative study. Int J Equity Health. 2016;15:1–10. doi:10.1186/s12939-016-0410-0.

Østergaard LR, Bjertrup PJ, Samuelsen H. “Children get sick all the time”: A qualitative

study of socio-cultural and health system factors contributing to recurrent child illnesses

in rural Burkina Faso. BMC Public Health 2016;16:384. doi:10.1186/s12889-016-3067-0.

Sokhela DG, Makhanya NJ, Sibiya NM, Nokes KM, Sokhela D. Experiences of Fast Queue

health care users in primary health care facilities in eThekwini district, South Africa.

Curationis. 2013;36:1–8. doi:10.4102/curationis.v36i1.60.

Meneses RCT, Zeni PF, Oliveira CCC, Melo CM. Promoção de saúde em população

quilombola nordestina - análise de intervenção educativa em anemia falciforme. Esc. Anna

Nery. 2015;19:132–9.

Leão CDA, Caldeira AP, Oliveira MMC. Aspects of primary care for children: an evaluation

of care-givers. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant. 2011;11:323–34. doi:10.1590/S1519-

Pinho L, Dias RL, Cruz LMA, Velloso NA. Health conditions of quilombola community in

the north of Minas Gerais. Rev Pesqui Cuid É Fundam 2015;7:1847–55. doi:10.9789/2175-

2015.v7i1.1847-1855.

Marques AS, Freitas DA, Leao CDA, Oliveira SKM, Pereira MM, Caldeira AP.

Atenção Primária e saúde materno-infantil: a percepção de cuidadores em uma

comunidade rural quilombola. Cien. Saude. Colet. 2014;19:365–71. doi:10.1590/1413-

02992013.

Van Roy K, Vanheule S, Deveugele M. What makes up good consultations? A qualitative

study of GPs’ discourses. BMC Fam. Pract. 2013;14. doi:10.1186/1471-2296-14-62.

Schveitzer MC, Esper MV, Silva MJP. Integrative and Complementary Therapies in Primary

Health Care : a way to humanize care. O Mundo Da Saúde 2012;36:442–51.

Monteiro AI, Santos ADB, Macedo IP, Gurgel PKF, Cavalcante JMP. Nurse’autonomy

monitoring child growth and development. Rev. Enferm. UERJ. 2011;19:426–31.

Brasil MDS. Política Nacional de Atenção Básica. 2011.

UNA-SUS. Curso Saúde da População Negra - módulo 2. 2015.

Publicado

2021-04-28

Como Citar

Laura de Camargo, C., Farias de Oliveira, E., Silva de Jesus, V., Cardoso Duarte, A., de Andrade Alves, T., & Dias Martins Felzemburgh, R. (2021). DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DA CONSULTA PARA ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO EM COMUNIDADES QUILOMBOLAS. Revista Brasileira De Saúde Funcional, 11(1), 4. Recuperado de https://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/RBSF/article/view/1382