CARREIRA, FORMAÇÃO CONTINUADA E SATISFAÇÃO PROFISSIONAL: REFLEXÕES SOBRE A ALTERAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO/RS (2009-2011)

Autores

  • Lucas Santos Cerqueira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG
  • Gabriel da Silva Ferreira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG
  • Bruno Henrique Pais Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG
  • Thamara Luíza da Costa UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG

Palavras-chave:

Carreira Docente. Formação Continuada. Satisfação profissional.

Resumo

As políticas neoliberais têm afetado a capacidade dos estados em suprir as demandas da população e garantir serviços públicos de qualidade. Isso se reflete nas restrições a valorização de profissionais de áreas essenciais como a educação. Este artigo busca refletir as implicações da alteração do Plano de Carreira do Magistério no município de Novo Hamburgo-RS entre os anos de 2009 à 2011. Foi uma análise comparada entre os planos de carreira, somada a uma avaliação das principais alterações percebidas pelos professores e na perspectiva teórica da carreira docente, a formação continuada e a satisfação profissional. Trata-se uma pesquisa descritiva, dividida em duas fases: a primeira, qualitativa, com dados obtidos por meio de entrevistas e através da análise documental do plano de carreira. Já na fase quantitativa foram aplicados 414 questionários com docentes da rede municipal. O caso de Novo Hamburgo demonstra como que mudanças promovidas nos planos de carreira docente, restringindo o acesso a valorização profissional pela formação continuada, representa uma das formas de contenção dos gastos públicos que se aprofundou nos últimos anos. Demonstra, ainda, que mesmos desvalorizados, a estabilidade do emprego e a paixão pela profissão são fatores considerados pelos profissionais entrevistados para seguir na carreira.

Biografia do Autor

Lucas Santos Cerqueira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG

Doutor em Desenvolvimento Regional e Urbano na Universidade Salvador (UNIFACS). Doutorando em Educação Ambiental pelo Programa de Pós Graduação em Educação Ambiental (PPGEA) da FURG. Mestre em Administração Estratégica na Universidade Salvador (UNIFACS) e graduação em Administração com Gestão da Informação pela União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME). Atualmente é professor Adjunto na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), coordenador adjunto do curso de Administração da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), atuando no Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis ICEAC/FURG e participa como professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Administração da FURG - Mestrado Acadêmico em Administração (PPGA/FURG) e Mestrado Profissional em Administração Pública (PROFIAP/FURG). 

Gabriel da Silva Ferreira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG

Mestrando em História na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, com bolsa PROSUC/CAPES (Mod II - Taxas). Possui graduação em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2005). É professor de História na Rede Municipal de Ensino, em Novo Hamburgo.

Bruno Henrique Pais Silva, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG

Mestrando e Graduado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande (2018) e atuou como bolsista em Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS) no Laboratório de Estudos Estatísticos (Labest/FURG), participando de projetos de pesquisas na área da Administração e Estatística. Atualmente pretende se dedicar em novos trabalhos de pesquisas na área de Estudos Organizacionais.

Thamara Luíza da Costa, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG

Mestranda e Graduada em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande (2018). Atuou como bolsista monitoria na disciplina de Teoria das Organizações. Participou do programa de estágios da Refinaria de Petróleo Riograndense. Atualmente sou aluna do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande Possui interesse por estudos e pesquisas na área das organizações e sociedade.

Referências

Cameron IG, Pari G, Alahyane N, Brien DC, Coe BC, Stroman PW, et al. Impaired executive function signals in motor brain regions in Parkinson’s disease. Neuroimage. 2012;60 (2):1156-70.

Espindola AR. Avaliação respiratória em pacientes com doença de Parkinson submetidos ao método halliwick [monografia]. Tubarão: Universidade do Sul de Santa Catarina; 2005:1-86.

Pereira D, Garrett C. Fatores de risco da doença de Parkinson um estudo epidemiológico. Acta Med Port. 2010;23:15-24.

O’sullivan SB, Schimitz TJ. Doença de Parkinson. Fisioterapia: avaliação e tratamento. São Paulo: Manole. 2004:747-73.

World Health Organization. Towards a Common Language for Functioning, Disability and Health - ICF.[WHO/EIP/GPE/CAS/01.3] Genebra; 2002.

Fleck MPA, Leal OF, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, et al. Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da OMS (WHOQOL-100). Rev Bras Psiquiatr. 1999;21(1):19-28.

Soh SE, Morris ME, McGinley JL. Determinants of health-related quality of life in Parkinson's disease: a systematic review. Parkinsonism Relat Disord. 2011 Jan;17(1):1-9. doi: 10.1016/j.parkreldis.2010.08.012.

Souza A, Barreto MM, Santos SMS. Avaliação da Atividade Funcional e Qualidade de Vida em Mulheres com Doença de Parkinson. Revista Saúde e Pesquisa. maio/ago 2010;3(2):167-172. ISSN 1983-1870.

Goulart F, Pereira LX. Main scales for Parkinson’s disease assessment: use in physical therapy. Fisioter Pesqui. 2004;11(1):49-56.

Brito RR, Pereira LAS. Teste de caminhada de seis minutos uma normatização brasileira. Fisioterapia em Movimento. Curitiba, 2006;19:49-54.

Brunetto AF, Paulin E, Yamaguti WPS. Comparação entre a Escala de Borg Modificada e a Escala de Borg Modificada Análogo Visual aplicadas em pacientes com dispnéia. Rev. bras. fisioter. 2002;6(1):41-45.

Castro SM, Perracini MR, Ganança FF. Versão brasileira do Dynamic Gait Index. Rev Bras Otorrinolaringol. 2006;72(6):817-25.

Podsiadlo D, Richardson S. The Timed “Up and Go”: a test of basic functional mobility for frail elderly persons. JAGS. 2002;39:142-8.

Munoz-Mendoza CL, Cabrero-García J, Reig-Ferrer A, Cabanero-Martinez MJ. Evaluation of walking speed tests as a measurement of functional limitations in elderly people: A structured review. International Journal of Clinical and Health Psychology. 2010;10(2):359-378.

Minosso JSM, et al. Validação, no Brasil, do Índice de Barthel em idosos atendidos em amulatórios. Acta Paul. Enferm. 2010; 23(2):218-23.

Da Silva A, Almeida GJM, Cassilhas RC, Cohen M, Peccin MS, Tufik S, De Mello M T. Equilíbrio, Coordenação e Agilidade de Idosos Submetidos à Prática de Exercícios Físicos Resistidos. Rev Bras Med Esporte. Mar/Abr, 2008;14(2).

Mello MPB, Botelho ACG. Correlação das escalas de avaliação utilizadas na doença de Parkinson com aplicabilidade na fisioterapia. Fisioter Mov. 2010 jan/mar;23(1):121-7.

Portney LG, Watkins M. Foundations of clinical research: applications to practice. 2ª ed. Upper Saddle River (NJ): Prentice Hall; 2000:491-508. Correlation. In: Portney LG, Watkins MP.

Mascarenhas CHM, Souza MP. Functional evaluation of individuals with Parkinson’s disease. Arq Ciênc Saúde. 2010 out-dez; 17(4):179-84.

Peto V, Jenkinson C, Fitzpatrick R. PDQ-39: a review of the development, validation and application of a Parkinson’s quality of life questionnaire and its associated measures. Journal of Neurology. 1998;245(suppl 1):10-14.

Quintella RS, Sachetti A, Wibelinger LM, De Oliveira SG. Qualidade de vida e funcionalidade na doença de Parkinson. RBCEH, Passo Fundo. jan./abr. 2013;10(1):104-112.

Gomez-Esteban JC, Zarranz JJ, Lezcano E, Tijero B, Luna A, Velasco F, et al. Influence of motor symptoms upon the quality of life of patients with Parkinson’disease. Eur Neurol. 2007;57:161-5.

Perez-Lloret S, Negre-Pages L, Damier P, Delval A, Derkinderen P, Destée A, Meissner WG, Schelosky L, Tison F, Rascol O. Prevalence, Determinants, and Effect on Quality of Life of Freezing of Gait in Parkinson Disease. JAMA Neurol. 2014;71(7):884-890.

Silva JAMG, Filho AVD, Faganello FR. Mensuração da qualidade de vida de indivíduos com a doença de Parkinson por meio do questionário PDQ-39. Fisioter. Mov., Curitiba. jan./mar. 2011;24 (1):141-146.

Lana RC, Álvares LMRS, Prudente NC, Goulart FRP, Salmela TLF, Cardoso FE. Percepção da qualidade de vida de indivíduos com doença de Parkinson através do PDQ-39. Rev Bras Fisioter. 2007;11(5):397-402.

Kim MY, Dahlberg A, Hagell P. Respondent burden and patient perceived validity of the PDQ-39. Acta Neurol Scand. 2006;113(2):132-7.

Peto V, Jenkinson C, Fitzpatrick R. Determining minimally important differences for the PDQ-39 Parkinson’s disease questionnaire. Age Ageing. 2001;30(4):299-302.

Gray P, Hildebrand K. Fall risk factors in Parkinson’s disease. J Neurosci Nurs. 2000;4:222–8.

Publicado

2020-10-06

Como Citar

Cerqueira, L. S., Ferreira, G. da S., Silva, B. H. P., & da Costa, T. L. (2020). CARREIRA, FORMAÇÃO CONTINUADA E SATISFAÇÃO PROFISSIONAL: REFLEXÕES SOBRE A ALTERAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DO MAGISTÉRIO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO/RS (2009-2011). Revista Formadores, 13(1), 16. Recuperado de https://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/formadores/article/view/1183