MARKETING DIGITAL: UMA ANÁLISE SOBRE O USO DO INSTAGRAM, COMO FERRAMENTA DE PROMOÇÃO DE PRODUTOS ÉTNICOS PARA O PÚBLICO AFRODESCENDENTE, EM SALVADOR-BA

Autores

  • Marli Nascimento do Amor Divino Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  • Tânia Moura Benevides

Palavras-chave:

Marketing Digital. Promoção. Instagram. Afrodescendente.

Resumo

Esse artigo tem por objetivo analisar a percepção que os consumidores de produtos étnicos para afrodescendentes, residentes na cidade de Salvador-BA, têm a respeito das estratégias promocionais veiculadas pelas empresas, por meio do Instagram. Com o desenvolvimento tecnológico e o advento da internet, os consumidores têm sido expostos constantemente a diversas ações promocionais através do marketing digital. Atualmente as redes sociais on-line têm sido os principais canais utilizados pelas organizações para a divulgação de suas atividades. Nesse sentido, dentre as diversas plataformas disponíveis, o Instagram tem se destacado como instrumento de aproximação entre os potenciais clientes e as marcas. Assim, para o desenvolvimento da presente pesquisa, foi utilizado um estudo exploratório, de abordagem qualitativa e quantitativa, através do levantamento bibliográfico e da aplicação de um questionário, que verificou ser o Instagram uma rede social on-line bastante utilizada para ações promocionais destinadas ao público em questão. Ao analisar a percepção dos referidos consumidores, foi possível constatar que mais da metade deles acompanha as promoções de produtos étnicos por meio da rede social, sendo influenciada de alguma forma a comprar algum item, bem como concorda que a plataforma é um canal bastante eficaz para esse tipo de atividade. Os resultados revelaram ainda que são bastante influenciados por artistas, blogueiros e youtubers, e que a categoria de produtos que mais consomem é a de cosméticos e produtos de higiene pessoal, ficando a de vestuário e acessórios em segundo lugar. Apenas uma pequena parcela dos respondentes, ou seja, menos de um terço revelou que não acompanha e não se sente influenciada pelas promoções dos respectivos produtos, por meio do Instagram. A análise permitiu identificar ainda, que para o público-alvo da presente pesquisa, o afroconsumo possui valores intrínsecos que possuem relação com a valorização da cultura e identidade afro, configurando como uma forma de resposta de autoafirmação de uma etnia, que até pouco tempo teve suas especificidades ignoradas pelo mercado.

Biografia do Autor

Marli Nascimento do Amor Divino, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Graduada em Administração pela Universidade do Estado da Bahia (Departamento de Ciências Humanas) com experiência profissional na área de Administração de Empresas.

Tânia Moura Benevides

Doutora em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), mestre em Administração Estratégica pela Universidade Salvador e especialista em Finanças Empresariais pela Fundação Getúlio Vargas, com graduação em Administração pela Faculdade Ruy Barbosa. É professora adjunta da Universidade do Estado da Bahia e da UFBA e professora horista da Faculdade Adventista da Bahia (FADBA). Atualmente coordena a Unidade de Educação a Distância da UNEB e atua como coordenadora do curso de formação denominado Movimento Popular e Direito à Cidade: uma abordagem formativa (UFBA). Como pesquisadora integra a equipe do projeto denominado Qualidade do Ambiente Urbano de Salvador – QUALISalvador e é Editora da Revista Formadores [B3].

Referências

Binotto AL, Santos LL, Lourosa QDL, Sant’Anna SC, Zanetti ACG, Marques JMA. Interface saúde da família & saúde mental: uma estratégia para o cuidado. Rev Bras Med Família e Comunidade. 2012;7(23).

Azevedo D, Gondim M, Silva D. Matrix Support in Mental Health: the Perception of Professional in Territory. Rev Pesqui Cuid é Fundam Online. 2013;5(1):3311–22.

Sobrinho DF, Machado ATGM, Lima AMLD, Jorge AO, Reis CMR, Abreu DMX, et al. Compreendendo o apoio matricial e o resultado da certificação de qualidade nas áreas de atenção à criança, mulher, diabetes/hipertensão e saúde mental. Saúde Debate, Rio de Janeiro. 2014;38(esp):83-93..

Quinderé PHD, Jorge MSB, Nogueira MSL, Costa LFA, Vasconcelos MGF. Acessibilidade e resolubilidade da assistência em saúde mental: a experiência do apoio matricial. Cien Saude Colet. 2013;18(7):2157–66.

Campos GWDS, Figueiredo MD, Pereira Júnior N, Castro CP. A aplicação da metodologia Paideia no apoio institucional, no apoio matricial e na clínica ampliada. Interface - Comun Saúde, Educ. 2014;18:983–95.

Hirdes A, Silva MKR. Apoio matricial: um caminho para a integração saúde mental e atenção primária. Saúde em Debate [Internet]. 2014;38(102):582–92. Available from: http://www.gnresearch.org/doi/10.5935/0103-1104.20140054

Ginneken NV, Maheedhariah MS, Ghani S, Ramakrishna J, Raja A, Patel V. Human resources and models of mental healthcare integration into primary and community care in India: Case studies of 72 programmes. PLOS ONE. 2017;12(6):03-25. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0178954.

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG, PRISMA Group. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA Statement. Ann Intern Med [Internet]. 2009;3(3):e123-30. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21603045

Liberati A, Altman DG, Tetzlaff J, Mulrow C, Gøtzsche PC, Ioannidis JPA, et al. The PRISMA Statement for Reporting Systematic Reviews and Meta-Analyses of Studies That Evaluate Health Care Interventions: Explanation and Elaboration. Res Mehods Reportingehods Report [Internet]. 2009 Jul 21;6(7):e1000100. Available from: http://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0895435609001802

Mielke FB, Olchowsky A. Saúde mental na Estratégia Saúde da Família: avaliação de apoio matricial. Rev Bras Enferm, Brasília. 2010;63(6):900–7.

Campos RO, Gama CA, Ferrer AL, Santos DVD, Stefanello S, Trapé TL, et al. Saúde mental na atenção primária à saúde : estudo avaliativo em uma grande cidade brasileira. Cien Saude Colet. 2011;16(12):4643–52.

Jorge MSB, Pinto DM, Vasconcelos MGF, Pinto AGA, Souza RS, Caminha ECCR. Ferramenta matricial na produção do cuidado integral na estratégia saúde da família. Acta Paul Enferm. 2012;25(2):26-32.

Pinto AGA, Jorge MSB, Vasconcelos MGF, Sampaio JJC, Lima GP, Bastos VC, et al. Apoio matricial como dispositivo do cuidado em saúde mental na atenção primária: olhares múltiplos e dispositivos para resolubilidade. Cien Saude Colet. 2012;17(3):653–60.

Onocko-Campos RT, Campos GWDS, Ferrer AL, Corrêa CRS, Madureira PR, Gama CAP Da, et al. Avaliação de estratégias inovadoras na organização da Atenção Primária à Saúde. Rev Saude Publica. 2012;46(1):43–50.

Cavalcante CM, Salete M, Jorge B. Onde está a criança? Desafios e obstáculos ao apoio matricial de crianças com problemas de saúde mental. Physis Rev Saúde Coletiva, Rio Janeiro. 2012;22(1):161–78.

Minozzo F, Costa II. Apoio matricial em saúde mental entre CAPS e Saúde da Família: trilhando caminhos possíveis. Psico-USF, Bragança Paul. 2013;18(1):151–60.

Minozzo F, Costa II. Apoio matricial em saúde mental: fortalecendo a saúde da família na clínica da crise. Rev Latinoam Psicopat Fund São Paulo. 2013;16(3):438–50.

Pegoraro RF, Cassimiro TJL, Leão NC. Matriciamento em saúde mental segundo profissionais da Estratégia da Saúde da Família. Psicol em Estud Mar [Internet]. 2014 Dec;19(4):621–31. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-73722014000400621&lng=pt&nrm=iso&tlng=en

Jorge MSB, Vasconcelos MGF, Neto JPM, Gondim LGF, Simões ECP. Possibilidades e desafios do apoio matricial na atenção básica: percepções dos profissionais. Rev Psicol Teor e Prática. 2014;16(2):63–74.

Hirdes A. A perspectiva dos profissionais da Atenção Primária à Saúde sobre o apoio matricial em saúde mental. Cien Saude Colet [Internet]. 2015;20(2):371–82. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000200371&lang=pt

Jorge MSB, Diniz AM, Lima LL, Penha JC. Apoio Matricial, Projeto Terapêutico Singular e produção do cuidado em saúde mental. Texto Context Enferm Florianóp. 2015;24(1):112–20.

Costa FRM, Lima VV, Silva RF, Fioroni LN. Desafios do apoio matricial como prática educacional: a saúde mental na atenção básica. Interface - Comun Saúde, Educ. 2015;19(54):491–502.

Lima M, Dimenstein M. O apoio matricial em saúde mental: uma ferramenta apoiadora da atenção à crise. Interface - Comun Saúde, Educ [Internet]. 2016 Sep;20(58):625–35. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832016000300625&lng=pt&nrm=iso&tlng=en

Romera AA, Barrêto AJR, Sá LD, Almeida SA, Nogueira JA, Sá CMCP. Trabalho do apoiador matricial: dificuldades no âmbito da atenção básica em saúde. Rev Gaúcha de Enferm. 2013;35(1):140-147.

Schatschineider VB. O matriciamento e a perspectiva dos profissionais de uma estratégia saúde da família [monografia na internet]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2012. [cited 2018 jul 29]. Availabre from: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/55159

Amaral CEM, Torrenté M de ON, Torrenté M, Moreira CP. Apoio matricial em Saúde Mental na atenção básica: efeitos na compreensão e manejo por parte de agentes comunitários de saúde. Interface (Botucatu) [Internet] [Internet]. 2018 May 17;22(66):801–12. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832018000300801&lng=pt&tlng=pt

Care PH, Patrícia A, Morais P. Apoio Matricial em Saúde Mental : alcances e limites na atenção básica 1 Matrix Support in Mental Health : Achievements and Limits in. 2012;161–70.

Fittipaldi AL de M, Barros DC, Romano VF. Apoio Matricial nas ações de Alimentação e Nutrição: visão dos profissionais da Estratégia Saúde da Família. Physis Rev Saúde Coletiva [Internet]. 2017 Jul;27(3):793–811. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312017000300793&lng=pt&tlng=pt

Calvancante CM, Pinto DM, Carvalho AZT, Jorge MSB, Freitas CHA. Desafios do cuidado em saúde mental na estratégia saúde da família. RBPS, Fortaleza. 2011;24(2):102–8.

Athié K, Fortes S, Delgado PGG. Matriciamento em saúde mental na Atenção Primária: uma revisão crítica (2000-2010). Rev Bras Med Fam Comunidade, Rio Janeiro. 2013;8(26):64–74.

Silveira ER. Práticas que integram a saúde mental à saúde pública : o apoio matricial e a interconsulta. Cien Saude Colet. 2012;17(9):2377–86.

Vasconcelos SC, Frazão IS, Nascimento VS, Lima MDC, Ramos VP. Educação em saúde com pessoas usuárias de álcool e outras drogas. Rev Baiana Enf [Internet]. 2012 Jan 31;3(6). Available from: http://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/47074

Publicado

2019-11-28

Como Citar

do Amor Divino, M. N., & Benevides, T. M. (2019). MARKETING DIGITAL: UMA ANÁLISE SOBRE O USO DO INSTAGRAM, COMO FERRAMENTA DE PROMOÇÃO DE PRODUTOS ÉTNICOS PARA O PÚBLICO AFRODESCENDENTE, EM SALVADOR-BA. Revista Formadores, 12(7), 60. Recuperado de https://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/formadores/article/view/1223