ECONOMIA COLABORATIVA E AFROEMPREENDEDORISMO: UMA ANÁLISE SOBRE ARTICULAÇÃO DESSES DOIS CONCEITOS NO UJAMAA COWORKING

Autores

  • Ana Karoline dos Santos Lima UFBA
  • Tânia Moura Benevides UFBA

Palavras-chave:

Empreendedorismo. Afroempreendedorismo, Economia Colaborativa, Coworking,

Resumo

Este artigo tem por objetivo compreender o desenvolvimento do empreendedorismo no território soteropolitano a partir da articulação da economia colaborativa e afroempreendedorismo no Ujamaa Coworking. Em relação ao percurso metodológico
partiu-se, inicialmente, da pesquisa bibliográfica e documental a fim de conhecer os conceitos e elencar categorias de análise. A seguir foi realizada a pesquisa de campo, utilizando-se, como instrumento de coleta de dados a entrevista e o questionário. Os dados coletados foram analisados através da técnica da triangulação com dois outros aspectos - resultados das entrevistas e observação não participante. O principal resultado desse estudo aponta para a importância da articulação entre a economia colaborativa e o afroempreendedorismo, levando-se em consideração às questões históricas e o posicionamento social da população negra na sociedade brasileira e soteropolitana, pois Salvador é a cidade com maior quantitativo de negros fora da África. Assim, projetos e ações que promovam, de maneira sustentável, o fortalecimento da economia local, são extremamente importantes, criando espaços propícios à geração de conhecimento e renda, auxiliando ainda a mudança de fatores sociais de marginalização e concentração de capital, uma vez que, apresenta-se como um novo modelo de fomento ao progresso e a geração de emprego e renda.

Biografia do Autor

Ana Karoline dos Santos Lima, UFBA

Especialista em Comunicação Estratégica pela
Universidade Federal da Bahia e Graduada em
Administração na Universidade do Estado da
Bahia.

Tânia Moura Benevides, UFBA

Doutora em Administração pela Universidade
Federal da Bahia (UFBA), mestre em
Administração Estratégica pela Universidade
Salvador e especialista em Finanças Empresariais
pela Fundação Getúlio Vargas, com graduação
em Administração pela Faculdade Ruy Barbosa.
É professora adjunta da Universidade do
Estado da Bahia e da UFBA e professora horista
da Faculdade Adventista da Bahia (FADBA).
Atualmente coordena a Unidade de Educação a
Distância da UNEB e atua como coordenadora
do curso de formação denominado Movimento
Popular e Direito à Cidade: uma abordagem
formativa (UFBA). Como pesquisadora integra
a equipe do projeto denominado Qualidade do
Ambiente Urbano de Salvador – QUALISalvador e
é Editora da Revista Formadores [B3].

Referências

ALMEIDA, Alex Sandro Macedo e outros. Desenvolvimento e Empreendedorismo AfroBrasileiro. Florianópolis - SC. Ed. Atilénde, 2014.
BAGGIO, Francisco Adelar; BAGGIO, Daniel Knebel. Empreendedorismo: Conceitos e
Definições. Rev. De Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia, 2014.
BARROS, Aluízio Antonio. PEREIRA, Cláudia M. M. de Araújo. Empreendedorismo e
Crescimento Econômico: uma Análise Empírica. RAC, Curitiba, v. 12, n. 4, p. 975-993, Out./Dez.
2008.
CABRAL, Magali. Fase de maturação. Revista Página 22. FGV - EAESP, pp. 42.47, junho 2015.
CIMADOM, Eduardo José. Empreendedorismo na gestão de empresas criadas por
necessidade. Santa Maria - RS.
DAVIES, Frank Andrews; Identidades de sucesso: breve reflexão sobre os empresários negros.
Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da USP. São Paulo – SP, v. 16, n. 2, pp.
75.94, 2009.
ENDEAVOR BRASIL. Índice de cidades empreendedoras. 2015.
FILION, Louis Jacques. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de
pequenos negócios. Revista de Administração, São Paulo v.34, n.2, p.05-28, abril/junho, 1999.
FONSECA, João José Saraiva. Metodologia da Pesquisa Científica. Ceará, 2002.
GLOBAL ENTREPENEURSHIP MONITOR. Empreendedorismo no Brasil – Relatório executivo.
2014.
MENESES, Jaci Maria Ferraz de. Abolição no Brasil: A construção da liberdade. Campinas, n. 36,
p. 83-104, dez. 2009.
MESQUITA, Luiza Affonso Ferreira. As práticas que sustentam o trabalho colaborativo em
espaços de coworking e o papel das Tecnologias de Informação e Comunicação: Estudo de
caso da Goma. São Paulo – SP, 2016.
LEFEVRE, Fernando; Cavalcanti Lefevre, Ana Maria. Discurso do Sujeito Coletivo:
Representações sociais e intervenções comunicativas. Texto & Contexto Enfermagem, vol. 23,
núm. 2, abril-junho, 2014, pp. 502-507 Universidade Federal de Santa Catarina Santa Catarina,
Brasil.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Empreendedorismo: Vocação, Capacitação e Atuação.
São Paulo – SP, Ed. Atlas S.A, 2014.
OLIVEIRA, Maxwell Ferreira. Metodologia Científica: um manual para a realização de
pesquisas em administração. Catalão – GO, 2011.
PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do Trabalho Científico:
Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Editora Feevale. 2. ed. Novo
Hamburgo – RS, 2013.
REVISTA PÁGINA 22. Economia colaborativa. Número 96, FGV EAESP, São Paulo - SP, junho de
2015.
ROSSI, Marina. Mais brasileiros se declaram negros e pardos e reduzem números de brancos.
São Paulo - SP, 16 de novembro de 2015.
SARFATI, Gilberto. Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico. 2011. Disponível em:

Acesso em: 17 mai. 2016.
SEE. Secretaria de assuntos estratégicos. População negra é a maior parcela da classe média
brasileira. Disponível em: Acesso em: 17 mai 2016.
VIANA, Diego. O furo do capitalismo. Revista Página 22. FGV - EAESP, pp. 20.25, junho 2015.

Publicado

2019-11-28

Como Citar

dos Santos Lima, A. K., & Moura Benevides, T. (2019). ECONOMIA COLABORATIVA E AFROEMPREENDEDORISMO: UMA ANÁLISE SOBRE ARTICULAÇÃO DESSES DOIS CONCEITOS NO UJAMAA COWORKING. Revista Formadores, 12(7), 38. Recuperado de https://seer-adventista.com.br/ojs3/index.php/formadores/article/view/1229